Porque é que os promotores compram?

Se estamos a trabalhar em booking, é obrigatório entender porque é que os promotores compram.

Será que todos compram com o mesmo objetivo?

De forma simples, podemos segmentar a intenção de compra dos promotores em 4 formas grandes blocos, ordenados de forma aleatória.

Porque é que os promotores compram?

Atração de Pessoas

Espaços como festas das cidades, feiras de negócio ou casinos têm como principal intenção conseguir levar o maior número de pessoas ao espaço com o objetivo de que possam passear pelos stands e possam adquirir.

Normalmente, estes espetáculos são gratuitos e procuram-se principalmente artistas de notoriedade nacional.

Isto explica, por exemplo, os espetáculos gratuitos no Casino de Lisboa às segundas-feiras ou autênticos cartazes de luxo na Expofacic.

Criação de hábitos culturais ou correntes de público

Teatros e auditórios municipais têm objetivos anuais de fomentação e criação de novos públicos para o consumo da cultura em determinadas localidades. Essa plano envolve conseguir um determinado número de participação e o espetáculos de música e teatro levam muita gente às salas. O objetivo principal não é o fazer dinheiro mas sim o papel cívico de criar o hábito nos locais de visitarem o espaço.

Esta estratégia é também utilizada por bares. A criação de correntes de público é um dos principais objetivos de bares que lutam para se destacar nas opções entre outros bares. Muitos tendem-se a especializar em determinado tipo de público e programação. Por exemplo, é normal que caso procures um espetáculo relacionado com cultura africana, o B.Leza em Lisboa é o teu espaço de eleição.

Perspectiva de Mercado

Este é terceiro ponto e por certo não o menos comum, antes pelo contrário. A perspectiva de mercado que obedece às regras da procura e da oferta é sem dúvida a mais tradicional.

Isto é, neste tipo de negócio o promotor procura comprar um espetáculo e promove-lo de forma a encher salas e lucrar o máximo possível com a venda dos bilhetes. O que não quer dizer que não vá lucrar também com stands. Este é o exemplo clássico dos festivais ou das produções próprias.

Eventos Privados

Os eventos sociais privados ou eventos corporativos são sem dúvida uma grande fonte de receita para artistas de renome bem como para projetos de covers. Festas de natal para empresas, por exemplo, são motes fantásticos para a criação de espetáculos exclusivos para os colaboradores das empresas. Aqui a intenção é apenas a de impressionar e oferecer o espetáculo como benefício aos colaboradores ou amigos.

Resumindo, nem todos os promotores procuram os mesmos artistas nem com as mesmas intenções. Assim sendo, deveremos estar atentos para entender qual o principal objetivo e assim, adaptar o nosso espetáculo e ou a nossa oferta.

É certo que poderíamos encontrar aqui várias derivações de intenção mas penso que estas quadro resumem o fundamental.

Desafio-te também a conhecer quais os tipos de negócio mais comuns entre bandas e promotores.

Até já

João Moura de Paiva

Managing Partner @ tuff Agency