O que é a mistura e porque é tão importante?

978
Mistura

O que é a mistura e porque é tão importante?

A mistura é o 4º passo da produção de uma música até chegar aos teus ouvidos. A mistura só acontece depois da gravação e edição de todos os instrumentos (incluíndo voz). Vamos neste blog entender, de forma sucinta, o que é a mistura e quais os passos mais comuns na mesma. Esta mistura poderá ser em estúdio ou ao vivo. Neste post iremos tratar da importância deste processo em estúdio.

No inicio do processo, o engenheiro de som tratará cada pista de forma individual de forma a tirar o melhor som de cada uma.  Devemos entender “pista” como cada instrumento. Normalmente, cada pista passa por:

 

1) Equalização

A EQualização ajudará a tornar cada instrumento mais definido retirando frequências que não interessam e estimulando outras que não foram captadas

 

2) Níveis e Panorâmicas

Além de irem nivelando volumes de forma a tornar tudo mais audível, um dos processos mais utilizados é o explorar as panorâmicas de forma a dar uma maior abertura à mistura e aproveitar o efeito “stereo”.

 

3) Compressão

A compressão é o processo de ajuste de dinâmicas de um som gravado de forma a que fique mais uniforme. Ao passar um som pelos compressores, este vai amplificar as partes mais baixas e atenuar as partes mais altas.  Como qualquer outro processo da mistura, a compressão dará uma linguagem completamente diferente à música.

 

4) Efeitos

Reverb e Delay são dois dos processadores de efeitos mais comuns de ouvir em músicas rock / pop / hip-hop. O reverb permitirá dar ao instrumento gravado em estúdio um ambiente diferente. Isto é, dará ao som algumas reflexões que farão soar melhor. Já o delay (também conhecido por eco) é a repetição de um determinado som num tempo especifico e controlado. Este efeito ajudará a dar groove ao instrumento bem como a enriquecer a sonoridade da música quando bem utilizado.

 

5) Outros efeitos, compressões ou automatizações

Outros efeitos poderão ser ainda acrescentados para tentar criar o tipo de som pretendido. No início do processo, poderá ser necessário utilizar um “gate” que irá limitar o ruído da sala na gravação em tempos de silêncio. Ao misturar poderá ser necessário ainda afinar alguma nota que não ficou tão boa na gravação como esperado através de um “Pitch corrector”. Todos estes efeitos poderão ser atribuídos em apenas uma parte da música e a esse processo chama-se “automation”.

Em resumo, a mistura é um processo complexo que fará com que o a tua música fique clara, com os instrumentos definidos e equilibrados.

Lembra-te, para uma boa mistura é necessário uma excelente captação. Não é na mistura que vais resolver problemas de gravação mas na gravação poderás evitar vários problemas na mistura.